quarta-feira, 13 de maio de 2009

Pensamentos soltos

Todos os dias, pessoas vão e voltam. Esbarram nos ombros das outras, olham-se e continuam a fazer o caminho que seguiam antes. No ouvido, uma seleção de músicas escolhidas pela própria pessoa. Na mente, milhares de pensamentos sobre o próprio nariz. Quem é que se dá a oportunidade de conhecer novas pessoas? E quando digo conhecer, refiro-me a conhecer de verdade, profundamente. E não a conversas superficiais. Falo de ouvir as histórias sobre a infância, os medos, os desencantos, os amores, as opiniões sobre a vida, as peripécias de adolescente e as perspectivas sobre o futuro. Desconhecer alguns desses itens é perder uma parte muito importante do outro.

Esses dias, contaram-me algumas histórias sobre alguém que conheço. E, por mais que o assunto tenha me deixado boquiaberta, o que mais me abismou foi o fato de eu já ter passado horas conversando com a pessoa e não ter tido a sensibilidade de perceber nada. Logo eu, que adoro conversar. Não conhecemos a pessoa que está ao nosso lado. Mais que isso, muitas vezes nos rendemos aos julgamentos já estabelecidos que percorrem o mundo. Por trás de rostos felizes, há sempre muito a ser desvendado.

3 comentários:

Chico Silva Jr disse...

Desaba

Foi...

Camila Caringe disse...

Ei!
Não esquece de pegar o CD!
Tá na minha mochila!

O Fabrício ohohohoh disse...

Não tem nada coma nossa conversa né?

huahauahuahau

bjo e responde